Destaques

Secretária de Cultura de Campina apresenta metas para o próximo ano

Durante a tarde desta segunda-feira (25), a secretária de Cultura de Campina Grande, Giseli Sampaio, participou da Conferência da Lei Orçamentária Anual 2024 (LOA-2024), realizada na Câmara Municipal de Campina Grande. Na ocasião, além de dialogar sobre as demandas da população e realizar um balanço das ações implementadas neste ano, a secretária prospectou as ações para o próximo ano.

Em sua fala, Giseli Sampaio destacou a importância da reunião, não apenas para apresentação do que vem sendo desenvolvido pela Secretaria, mas também no intuito de ouvir e buscar a melhor forma de solucionar os anseios da população, através dos líderes comunitários.

A secretária destacou as atividades nos nove equipamentos da Cultura: o Teatro Municipal Severino Cabral; Centro Cultural Lourdes Ramalho (em seu anexo o Teatro Rosil); os Museus Histórico e do Algodão; a Filarmônica Epitácio Pessoa; Estação Cidadania-cultura; a própria sede da Secretaria de Cultura; Biblioteca Félix Araújo e a Biblioteca Carmen Eloi Dunga, no distrito de Galante. Mas, para além disso, Giseli Sampaio reforçou projetos como o “Secult nos Bairros” e o “Calçada do Som”, que têm como objetivo levar a Cultura para toda a cidade.

“Desde janeiro vocês vão perceber algumas das ações que nós já desenvolvemos e que, repito, cabem bem diante das demandas. Em fevereiro foram desenvolvidas várias atividades, resgatando a nossa identidade cultural e mostrando que Campina tem essa potencialidade dentro da economia criativa. Espetáculos descentralizados na Feira Central, o Baile Municipal Beneficente”, exemplificou Giseli.

Seguindo as atividades, a gestora destacou o retorno do projeto “Quintas Artísticas”, inserindo na programação cultural do Paulo Pontes, anexo ao Teatro Municipal, novos talentos da Rainha da Borborema. Em abril, Giseli pontuou o início das discussões para a chegada da Lei Paulo Gustavo, abrindo para a opinião da sociedade civil através de oitivas pré-construção dos editais, que destinarão mais de R$ 3,2 milhões em recursos no âmbito municipal.

“Em paralelo a isso foram desenvolvidas também várias programações, no Teatro Municipal resgatamos o Projeto Seis & Meia, abrindo sempre com uma atração de Campina Grande, está sendo oportunizado para o artista. A Via Sacra em Opereta, o cadastramento com as quadrilhas juninas, grupos folclóricos, todos eles passaram por um chamamento público. Toda a concepção dessa atividade sócio-cultural tão tradicional é o Casamento Coletivo, o Zabumba Lá, entre outros”, completou a secretária.

Com relação às demandas apresentadas pelo Orçamento Participativo (OP), a secretária fez um convite público aos líderes comunitários para que visitem a Secretaria de Cultura e contribuam na construção e elaboração de um cronograma, entendendo a linguagem artística que mais se aproxima de cada localidade.

“Vocês sabem quais as demandas […] Os que nos solicitaram cabe não só o projeto Secult nos Bairros, como todas as ações itinerantes que podem ser desenvolvidas. Precisamos planejar juntos, não adianta vocês trazerem as demandas e não construir junto conosco, porque só vocês sabem a realidade, inclusive muitas das demandas que nós já atendemos”, finalizou.

A abertura da Conferência contou ainda com a participação do cantor Jalles Franklin, que integra o núcleo artístico da pasta, ressaltando o compromisso da Cultura em ocupar diversos espaços, inclusive a Câmara Municipal.

Codecom