Destaques

Prefeitura de Campina Grande amplia atendimento para migrantes venezuelanos e de outras nacionalidades

Além do Espaço de Acolhimento Humanitário Venezuelano Warao, atualmente com dez venezuelanos indígenas, outras 96 pessoas naturais da Venezuela são acompanhadas pelo Serviço de Atendimento ao Migrante, coordenado por equipes da Semas.

Pensando em cuidar de toda a população do município, a Prefeitura de Campina Grande tem dado continuidade aos trabalhos realizados com os venezuelanos migrantes. Uma ação que já acontece com um grupo de venezuelanos da etnia Warao na cidade, por meio do Serviço de Atendimento ao Migrante, da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), que conta com uma equipe multidisciplinar para o trabalho. O serviço também ampliou a assistência para outros venezuelanos não indígenas na cidade.

Atualmente, a equipe faz acompanhamento para 96 venezuelanos não indígenas, com encaminhamentos para a rede de atendimentos através das articulações intersetoriais (apoio de outras secretarias); promovendo ações educativas, assistência jurídica para prestação de informações, orientações para a regulamentação documental, além da resolução das demandas emergentes e espontâneas, que surgem de acordo com cada caso. O trabalho não é exclusivo aos venezuelanos e também está aberto a todos os migrantes que moram na cidade, e que são usuários do Sistema Único de Assistência Social (SUAS).

Damarys Lopes foi uma das pessoas atendidas pelo Serviço. Ela recebeu todo suporte quando foi abandonada pelo marido para cuidar sozinha do filho de 17 anos de idade, em uma casa que morava no bairro Dinamérica. Conforme a coordenadora do Serviço, Thaís Lima, Damarys é um exemplo sobre como o trabalho é voltado à inserção dessas pessoas no SUAS, garantindo todos os direitos e proteção.

“Nós a encaminhamos para o Centro de Referência em Assistência Social (CRAS) mais próximo, garantindo todos seus direitos no SUAS, além de atualização do Sistema Único de Saúde e cadastro no Sistema Nacional de Emprego (Sine), onde o filho dela já conseguiu uma vaga como jovem aprendiz. Além disso, realizamos visitas domiciliares na casa onde reside atualmente no bairro da Bela Vista, com o benefício do aluguel social. Ela também recebe cestas básicas ofertadas pela Semas. Assim como no caso de Damarys, o nosso intuito é proteger e garantir os direitos de todas essas pessoas”, contou Thaís Lima.

A venezuelana reconheceu todo o apoio, através do Serviço. “Eles me trataram muito bem e hoje tenho uma casa para viver e comida na mesa. Não tenho palavras para dizer como eu me sinto. Agradeço todo o apoio que recebo da Semas, tanto para mim quanto para o meu filho, pois estamos tendo toda assistência e acompanhamento necessários, para termos uma vida digna. Isso tudo só foi possível com a ajuda que a Prefeitura de Campina Grande nos deu”, disse a venezuelana.

Sobre o Serviço

A Semas tem o objetivo de consolidar respostas que permitam a efetivação do acesso a direitos sociais básicos e o desenvolvimento do bem estar social deste público. O Serviço de Atendimento ao Migrante, realiza o acompanhamento para mais dez venezuelanos que são indígenas, através do Espaço de Acolhimento Humanitário Venezuelano Warao, que funciona no bairro do Jeremias.

Novo endereço

Para ter acesso ao Serviço de Atendimento ao Migrante, basta se dirigir ao novo endereço da unidade, situada à Rua Dom Pedro II, 970 – Prata, ou enviar e-mail no acolhimentowaraos@gmail.com

Codecom