MPPB vai investigar esquema de compra de votos revelado por áudio de assessor

Fonte: google

 

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) vai investigar um suposto esquema de compra de votos revelado por áudio de José Vieira Freire, mais conhecido como “Preto do Aguiar”, assessor do gabinete do prefeito de Marizópolis, Zé de Pedrinho (PSDB). As investigações têm por base denúncia formulada ao órgão ministerial pelos advogados José Rijalma de Oliveira Júnior e Francisco Abrantes, logo após que o vazamento do áudio ganhou publicidade pelos principais sites de notícias do Estado.

As investigações do Ministério Público irão se basear no áudio divulgado em grupo de WhatsApp em que Preto do Aguiar afirma que o pré-candidato a prefeito da cidade de Marizópolis, Luquinha do Brasil, iria se utilizar da máquina pública, bem como de utilizar seus próprios recursos, para a compra de votos.

O assessor do prefeito Zé de Pedrinho chega a dizer que “com a máquina na mão e o apoio de um empresário para gastar até um milhão e meio de Reais”, a campanha estaria ganha, sem chances para oposição.

E continua afirmando: “O lado de lá não tem dinheiro. E outra: cara, nós, com a máquina na mão e um empresário que tem pra gastar aí um milhão, um milhão e meio do bolso. Tu sabe que o nosso movimento já começa botando ‘pra tábua do mei gemer’. Vamos abrir um comitê aí pra 300, 400 pessoas pra trabalhar”.

O assessor do prefeito ainda insinua no áudio que será analisado pelo Ministério Público que o número de apoiadores a determinada candidatura está diretamente ligada à compra de votos. “Tu sabe como é Marizópolis, né? Cada andada que a gente dá começa a aumentar o nosso povo. É desse jeito, é compromisso”, afirmou durante a conversa.

Redação/Ascom

#