Paraíba

MPPB, IPC e PC se reúnem para traçar estratégias de aprimoramento das investigações de crimes contra a vida

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) promoveu, na tarde desta segunda-feira (21/08), uma reunião com representantes do Instituto de Polícia Científica (IPC) e delegados de homicídios de João Pessoa, para debater ações conjuntas capazes de aprimorar as investigações dos crimes violentos letais intencionais (CVLI) e, com isso, melhorar a atividade ministerial no Tribunal do Júri da Capital.

A reunião aconteceu na Sala de Sessões do colegiado, que fica na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em João Pessoa. Ela foi solicitada pelos promotores de Justiça que atuam nos tribunais do Júri da Capital, Marcus Antonius da Silva Leite e Demétrius Castor de Albuquerque Cruz. “O objetivo central é trabalhar junto com os delegados de polícia e com o IPC, para tentarmos a melhoria dos inquéritos policiais, da investigação, ouvir da polícia quais são os anseios e o que espera do trabalho ministerial e unirmos esforços para melhoria da qualidade das investigações policiais”, destacou o promotor de Justiça Marcus Leite.

Participam o coordenador do Centro de Apoio Operacional às promotorias de Justiça criminais (CaoCrim/MPPB), o promotor de Justiça Ricardo Alex Lins; os promotores de Justiça Marcus Leite e Demétrius Castor; o diretor do IPC; Marcelo Lopes Burity; e os delegados da Delegacia de Homicídios de João Pessoa, Luísa Nascimento Correia Lima; Flávia Renata Faria Assad; Hector Nunes Azevedo; Bruno Victor Germano; Josenise de Andrade Francisco; Paulo Josafa de Araújo e Cláudio Manoel Fernandes Marques.

O coordenador do CaoCrim destacou que a reunião tem como propósito dar mais efetividade ao Sistema de Justiça em relação ao enfrentamento da violência e da criminalidade. “Quando a rede de que fazemos parte – polícias civil e militar, Ministério Público, Defensoria Pública e Judiciário – atua com maior profissionalismo e satisfação, os grandes beneficiários são a sociedade e o próprio Sistema de Justiça. O objetivo é a busca da prova para que todo o trabalho e esforço das instituições e dos profissionais não seja em vão, para que cheguemos à verdade real, para que a impunidade e a criminalidade diminuam”, disse.

A delegada Luísa Lima falou sobre a importância da aproximação entre a PC e o Ministério Público para o enfrentamento dos crimes violentos. “É muito importante essa aproximação da Polícia Judiciária com o Ministério Público, que é titular da ação penal, para que a gente encontre novas formas e estratégias investigativas, de modo a trazer um embasamento mais técnico e forte, no que concerne às provas, para futuras condenações de crimes contra a vida”, explicou.