Destaques

Cícero Lucena destaca valor e força dos territórios no empreendedorismo da Capital durante abertura da Expofavela

O prefeito Cícero Lucena disse que a parceria da Prefeitura de João Pessoa com a Central Única das Favelas (Cufa), na Expofavela Inovation, que teve abertura na noite desta sexta-feira (22), no Espaço Cultural José Lins do Rego, vai colaborar para mostrar o valor e a força dos territórios da Capital em todas as áreas do empreendedorismo. O evento se estende até domingo (24), com uma grande feira para empreendedores e representantes de startups oriundos de favelas apresentarem suas ideias e produtos. Cícero estava acompanhado do vice-prefeito, Leo Bezerra.

“É uma oportunidade que estamos tendo de fazer aquilo que a Prefeitura de João Pessoa vem praticando com um movimento que é nacional, não só de chamar a atenção, mas principalmente mostrar o potencial que tem nesses territórios, na cultura, na arte, em todas as áreas. Ou seja, é algo que me deixa feliz porque a parceria da Prefeitura, o Governo do Estado, esse movimento nacional, as entidades que podem participar para treinar, qualificar, financiar empreendimentos, dotar essas comunidades de pleno direito de produção e de melhor distribuição de renda”, afirmou o prefeito.

A abertura do evento aconteceu na Sala de Concertos Maestro José Siqueira, com mesa de abertura com as autoridades e apresentações artísticas. O Grupo de Teatro Kairós, da Escola Municipal Padre Pedro Serrão, levantou o público, que ainda conferiu o filme Bora Favela e as apresentações de Lua Camboatá, Our Flavor, Los Hermanos Dance e Rapadura Xique-Chico.

O governador João Azevêdo disse espera que o evento aconteça anualmente na Paraíba, para mostrar a capacidade de empreendedorismo e o que acontece nas comunidades. “Eu tenho absoluta certeza que quem aqui vier para visitar essa feira vai se surpreender com o que vai encontrar. Eu não tenho dúvida nenhuma. O que já aconteceu no Brasil nesse movimento, ele é fundamental para que a microeconomia e a economia de porte e médio, efetivamente, como está acontecendo hoje, sejam mostradas. Isso porque a gente só protege o que conhece, a gente só apoia o que conhece. Quando esse projeto nos foi apresentado, de imediato, nós decidimos que iríamos apoiar”, afirmou o governador.

Fortalecimento – Favela não é carência, é potência. Essa frase virou um lema da Central Única das Favelas, organização que realiza ações sociais de fortalecimento a população que vive nas favelas brasileiras, que tem parceiros que acreditam nesse potencial. A Prefeitura, por exemplo, estará oferecendo serviços especiais para quem possui o próprio negócio ou quer empreender. O plantão funcionará no stand da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (Sedest).

O programa de microcrédito social ‘Eu Posso’ estará realizando pré-inscrição para o edital 11/2023, dedicado, exclusivamente, aos empreendedores credenciados na Expofavela. Ao todo, serão oferecidas 100 vagas. Para pessoa jurídica, o valor concedido aos empreendedores pode chegar a R$15 mil, e para pessoa física, a R$ 8 mil.

Outra presença é na área da educação, num stand que a Secretaria de Educação e Cultura (Sedec) estará disponibilizando os equipamentos que estão presentes nas salas Google, que os alunos da rede municipal utilizam no aprendizado. “Trazendo a escola para a comunidade. Aquilo que é ofertado para os nossos alunos, para que o público em geral também possa aproveitar um pouco durante esse período de três dias que a gente vai estar aqui nessa exposição”, destacou a secretária de Educação, América Castro.

A presidente da Cufa, Kallyne Lima, disse que o objetivo do evento é poder trazer oportunidade para esses empreendedores e empreendedoras, que são inovadores, que têm uma atividade, que impactam os territórios. Da edição em João Pessoa serão selecionados 10 negócios para representar a Paraíba na edição nacional, em dezembro. Ela disse ainda que o apoio da Prefeitura está permitindo realizar um evento num alto nível de excelência, numa clara demonstração de apoio ao que é produzido nas favelas.

“Se a gente não tivesse conseguido se aliar, se juntar, fazer essa conexão da Prefeitura de João Pessoa junto com o Governo do Estado, além de outros parceiros, não conseguiríamos. Então, hoje, eu digo a vocês que obviamente é uma realização da favela hold, a Cufa, que é o braço social, mas, sem essa parceria e tantos outros não acreditassem na favela, a gente não conseguiria fazer essa entrega. Muito importante o fomento, sobretudo o fomento público, porque não é gasto, é investimento”, afirmou.

Texto: Max Oliveira
Edição: Cristina Cavalcante
Fotografia: Sérgio Lucena e Renata Medeiros