Câmaras

Câmara concede título de cidadã pessoense à professora e filósofa Tânia Rodrigues Palhano

A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou na tarde desta quarta-feira (16), uma sessão solene de entrega do título de cidadã pessoense à professora universitária Tânia Rodrigues Palhano. A sessão foi proposta pelo presidente da Casa, vereador Dinho (Avante), que falou sobre a motivação para entrega da honraria.

“Para todos que fazem a Casa Napoleão Laureano é motivo de muito orgulho oferecer essa honraria à professora Tânia Palhano, agora pessoense de fato e de direito. Ela que é potiguar de nascimento, da cidade de Nova Cruz, mas que adotou a nossa capital como morada e nada mais justo que prestar essa homenagem a essa professora que possui muitos serviços prestados à Paraíba”, afirmou.

José Flávio, filósofo e amigo da homenageada, disse que a honraria é uma justa homenagem a quem se dedicou a apontar parâmetros ao futuro dos habitantes dessa cidade. “No espaço da UFPB, Tânia se dedica a formar pedagogos e pedagogas para atuarem nas escolas de João Pessoa”, acrescentou.

Já Élcia Macedo, professora e amiga da homenageada, pontuou dizendo que não é todo dia que a Filosofia tem um espaço privilegiado como o oferecido pela CMJP, onde as pessoas conseguem parar um pouco e pensar em ser e não em ter. “Em uma época em que o ter está tão evidente, nós estamos aqui filosofando. Por isso, hoje, homenagear uma mulher filósofa é algo realmente inédito, pois no cânone da Filosofia são pouquíssimas as mulheres, em que nós adentramos o nome de Tânia Rodrigues Palhano nessa lista”, reforçou.

Por sua vez, a homenageada, professora de Filosofia da Educação da UFPB, Tânia Palhano concluiu dizendo que receber a homenagem da CMJP representa a consolidação de muitos anos de um trabalho que faz parte da sua essência. “Ser professora, eu não sei se escolhi, mas eu fui escolhida para ser. São 30 anos de carreira somente na UFPB e conforme o tempo passa, a gente não enxerga a soma, a gente vê as parcelas que começam a penetrar no nosso ser para perceber essa imersão de quanto tempo a gente já trabalhou. Eu não quero que essa honraria seja para ser um fechamento, pois eu continuo na ativa e quero ainda continuar por mais alguns anos, e sim que esse título se incorpore ao que eu sou”, finalizou.